08.10.2020 - Cardiologista pede retomada de exercícios e de acompanhamento médico

A Federação Mundial do Coração escolheu o dia 29 de setembro como a data para se alertar sobre as doenças do coração, com apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da UNESCO, para buscar diminuir a alta incidência de mortes por causas cardíacas no mundo. Estamos vendo o recrudescimento das mortes e da invalidez por causa de certo descaso com conhecidos fatores de risco, como os hábitos sedentários tão disseminados pelas comodidades da vida moderna, além da epidemia de obesidade e de doenças crônicas como diabetes, hipertensão arterial e níveis elevados do colesterol ruim (LDL), assim como tabagismo e suas variantes, como o narguilé e o cigarros eletrônicos presentes principalmente entre os jovens.

O que podemos dizer que está acontecendo: começando pelas práticas esportivas, há um aumento porcentual discreto, mas constante, de praticantes. Mas a pandemia atrapalhou esse crescimento. Ainda assim, o ciclismo nas metrópoles ganhou muita força no uso para se dirigir para o trabalho como também para o lazer e, pelas circunstâncias recentes da pandemia, muitos passaram a evitar aglomerações do transporte público. Há ainda a economia gerada por causa disso.

A obesidade uma doença em pleno crescimento, causada por uma série de fatores. Entre eles, os maus hábitos alimentares resultantes da pressa e da facilidade dos fast foods. A terrível pandemia de Covid-19 mudou hábitos radicalmente, e a atividade física foi talvez a mais ou uma das mais prejudicadas, aliada ao fato da piora da obesidade infantil e adulta. A hipertensão arterial e as outras doenças cardiovasculares foram tratadas de modo irregular e insuficiente neste ano, e isto está sendo constatado nos pronto socorros das cidades maiores, onde os pacientes que para lá se dirigiam antigamente eram encaminhados para tratamentos nas enfermarias ou quartos e agora vão do pronto-socorro diretamente para a UTI, em função da piora clínica pelo relaxamento dos tratamentos na quarentena.

Tudo o que queremos é que o alerta do Dia Mundial do Coração seja ouvido e sirva para que as pessoas voltem aos hábitos saudáveis, reiniciando suas corridas e outras atividades esportivas, sendo mais atentos aos alimentos que consomem, corrigindo seus níveis de colesterol e da pressão arterial. Enfim, todos vivendo com saúde e abandonando hábitos prejudiciais como o tabagismo e sentimentos ruins como a raiva.

 

Mais comunicados

webgiz

webmail

fabe

Facebook

bolsa

sas

international school

irmao gabriel

conheca

projeto jovem safa